Bradesco submete bancários a condições insalubres

Bradesco submete bancários a condições insalubres

Escrito em 26/05/2024

O SEEB-MA realizou um ato público nessa quarta-feira (10/04), na unidade de negócio (UN) do Bradesco, na cidade de Cantanhede, a 168 km de São Luís.

Na ocasião, os diretores Edvaldo Castro e Cláudio Costa informaram à população que a agência será fechada no dia 19 de abril, dando continuidade à reestruturação anunciada pelo banco, que visa reduzir custos e maximizar lucros em todo o país, inclusive no Maranhão.

“Essa é uma medida perversa que vai reduzir o número de bancários, retirar os vigilantes, diminuir a segurança e piorar ainda mais o atendimento aos clientes” – criticou Edvaldo. Como se não bastasse o anúncio de fechamento da UN, os empregados e usuários da unidade ainda estão sendo expostos a condições insalubres.

“Mofo, poeira, reforma são apenas alguns dos agentes nocivos à saúde a que estão submetidos os funcionários e a população nesta agência, algo inadmissível para um banco que lucrou mais de R$ 200 bilhões nos últimos 10 anos” – destacou o diretor Cláudio.

Durante o ato, populares manifestaram apoio à luta do Sindicato, devido à situação da unidade e do prejuízo que o fechamento dela vai ocasionar a todos, como o deslocamento dos usuários para cidades vizinhas em busca dos serviços bancários.

Vale ressaltar que outras agências devem ser encerradas em breve, mas o Bradesco mantém em sigilo essas informações, provocando um verdadeiro clima de terror entre funcionários e clientes.

“Para cobrar transparência do banco quanto à essa reestruturação, o SEEB-MA solicitou o auxílio dos deputados Carlos Lula e Márcio Jerry, a fim de que o Bradesco esclareça de forma detalhada como se dará esse processo no Maranhão, informando quantas, quais e quando novas unidades serão encerradas” – complementou o diretor Edvaldo.

Diante desses ataques, o SEEB-MA cobra do Bradesco compromisso com os bancários e clientes. Por condições dignas de trabalho e de atendimento, pelo fim das demissões, por mais agências e contra essa reestruturação que só causará prejuízos a todos, a nossa luta continua!