Falta planejamento no pagamento de benefícios sociais

Falta planejamento no pagamento de benefícios sociais

Escrito em 26/05/2024

O SEEB-MA cobra do Governo Federal e da Direção da Caixa condições dignas de trabalho para os bancários de atendimento ao público nas agências da CEF no país. No Maranhão e em diversos Estados, o caos se instalou na última semana em razão do pagamento dos benefícios sociais à população, fato agravado ainda mais devido ao lançamento do “Pé-de-Meia”, novo programa do Governo destinado a jovens.

De acordo com o diretor do SEEB-MA, Enock Bezerra, falta por parte da Caixa investimentos em tecnologia e um planejamento estratégico para evitar a superlotação das agências.

“Para se ter ideia, o aplicativo Caixa Tem já foi lançado há 4 anos, mas não atende às necessidades dos clientes. Além disso, é necessário separar dias específicos para o recebimento de cada benefício, a fim de diminuir o fluxo de pessoas nas unidades. Em suma, falta planejamento por parte do Governo e do banco, o que acaba colocando os bancários e a população em uma situação degradante” – afirmou.

Conforme constatado pelo Sindicato, os clientes e os usuários estão padecendo em filas quilométricas e no sol quente à espera de atendimento, enquanto os bancários sofrem com a sobrecarga de trabalho nas unidades.

“Essa situação ficará ainda mais grave em razão do Programa de Demissão Voluntária (PDV) recentemente lançado pela Caixa, que diminuirá ainda mais o quadro de pessoal no Estado, onde há muitas pessoas carentes que dependem dos programas do governo. Sabemos que o banco lançou o edital para um novo concurso público, porém a quantidade de vagas destinadas ao Maranhão é insuficiente” – avaliou o diretor Eloy Natan.

Diante do descaso com os clientes e com os funcionários, o SEEB-MA reforça o pedido para que o Governo e a Direção da Caixa invistam em tecnologia, elaborem um plano de emergência para pagamento dos benefícios sociais, abram mais agências e aumentem o número de vagas no certame em andamento para suprir o déficit de unidades e funcionários nos municípios maranhenses.

“O objetivo é prestar atendimento de qualidade à população, além de garantir condições dignas de trabalho para os bancários, uma das categorias que mais adoece devido à exploração nos bancos. Vamos procurar ajuda da bancada federal e tomar outras medidas cabíveis em favor do bem-estar dos trabalhadores e dos clientes. Por tecnologia, planejamento, contratação de mais bancários e abertura de mais agências bancárias no Estado, vamos à luta” – finalizou o presidente Dielson Rodrigues.