SEEB-MA orienta voto na Chapa 1 na eleição da FUNCEF

SEEB-MA orienta voto na Chapa 1 na eleição da FUNCEF

Escrito em 22/07/2021

As eleições da FUNCEF 2020/2021 para os Conselhos Deliberativo e Fiscal começam na nesta quinta-feira (22/07), às 11h. O pleito vai até às 18h do dia 24. A votação será feita de maneira on-line no autoatendimento, no site ou aplicativo da Fundação. Neles já estão todas as informações sobre o processo. O acesso será por CPF e senha pessoal do eleitor.

Diante da disputa em torno dos fundos de pensão dos empregados públicos, em se tratando do 3º maior deles, no caso a FUNCEF, é fundamental enfrentar a patronal com as armas presentes para o momento, apoiando uma chapa do movimento sindical que ajude a impedir que a CAIXA, que já controla metade dos acentos e ainda possui o voto de minerva em questões onde ocorra empate, não avance sobre as vagas destinadas à categoria.

Reconhecemos, no entanto, que o processo ocorre em momento atípico, em meio a uma pandemia e com a cassação de mandatos legitimamente eleitos, uma medida truculenta e descabida, somada a novas regras para o processo eleitoral, impedindo que mais chapas de oposição ao Governo Bolsonaro fossem inscritas, com a absurda exigência de que não houvesse, na base sindical dos representantes, ações contra a FUNCEF.

Dessa forma, entre as chapas inscritas, a CHAPA 1 é única que reúne no seu programa pontos comuns na luta dos trabalhadores da CAIXA em defesa da FUNCEF e do seu patrimônio, permitindo debater questões vitais como o fim equacionamento em vigor, reverter a quebra de paridade no conselho deliberativo da entidade, a cobrança do contencioso, dentre outros.

Mesmo entendendo que existem diferenças políticas sérias entre os setores que impulsionam a atual "Chapa 1 – A FUNCEF é dos participantes" e o programa defendido pelas oposições, que resultou em apoios a CHAPAS distintas em processos anteriores, entendemos que, no atual cenário, é fundamental orientar voto contra a patronal, representada pelas CHAPAS 2 e 3.

Lembramos que o debate sobre a FUNCEF, a gestão temerária do fundo por parte da CAIXA nos anos de governo do PT, bem como a conivência de representantes eleitos, ainda são parte de um balanço não superado e é fundamental fazê-lo para construir relações políticas claras e informar aos trabalhadores da CAIXA sobre nossas posições. Por isso, adotar medidas que busquem ampliar a participação dos beneficiários e o controle sobre os eleitos para exercer mandatos, torna-se uma tarefa imperativa para garantir efetiva representação e democracia.

Entendemos, por fim, que a eleição é apenas um momento no processo de disputa com a direção da CAIXA sobre os rumos da gestão dos recursos da FUNCEF. A mobilização dos trabalhadores do banco para construir uma participação efetiva nas decisões é fundamental e segue cotidianamente em cada mobilização contra o governo Bolsonaro e em defesa da CAIXA 100% pública.