Prevenção ao suicídio é um assunto necessário!

Prevenção ao suicídio é um assunto necessário!

Escrito em 08/10/2021

É cada vez maior o número de casos de depressão entre os bancários. O movimento sindical constatou o aumento do número de suicídios na categoria.

Segundo levantamento do Dieese, com base em informações do INSS, o transtorno mental é a principal causa dos afastamentos do trabalho para tratamento de saúde na categoria. Os transtornos mentais, incluindo os casos de depressão, já ultrapassaram os afastamentos por LER/Dort.

Segundo os dados, 5.042 bancários receberam auxílios doença previdenciários e acidentários em 2013 por transtornos mentais e comportamentais, o que representa 27% dos afastamentos. As doenças do sistema osteomuscular e do tecido conjuntivo somam 4.589 casos, 24,6%.

Metas abusivas, cobranças constantes por resultados, assédio moral, pressão fazem parte do cotidiano dos bancários. Pesquisas realizadas pelo Sindicato dos Bancários de Curitiba e região, em parceria com o Instituto Declatra, provam o nexo causal entre os métodos de gestão do banco e o adoecimento da categoria. Segundo os dados coletados, as doenças mentais são relatadas em média por 25% dos bancários que entram com ações contra os bancos.

Baseado nos dados apresentados o SEEB-MA criou em parceria com a Dra. Solange Silva o projeto Escuta Clínica, na prática, psicólogos estarão disponíveis para escutar os bancários que estejam enfrentando dificuldades relacionadas ao trabalho, como assédio moral, depressão, pânico, síndrome de burnout, mudanças impostas pela pandemia, além de outras formas de sofrimento, desde que se relacionem, necessariamente, com o trabalho bancário.

FALAR É A MELHOR SOLUÇÃO

A esperança é o fato de que, segundo a Organização Mundial da Saúde, 9 em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. Porém, é necessário a pessoa buscar ajuda de quem está à sua volta.

Por isso, é importante que a família fique atenta aos comportamentos principais de quem pensa em cometer suicídio. Os principais sintomas são depressão, ansiedade, desesperança, desamparo e desespero.

Caso note alguém com este comportamento, a ajuda pode começar em uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Se necessário, o paciente será encaminhado a um médico especializado.

A prevenção ao suicídio pode ser feita através de acompanhamento psicológico e psiquiátrico, também é importante consultar um nutricionista e ter uma dieta balanceada, além disso, o apoio familiar e de amigos faz toda a diferença.